Indiferença

Era uma vez um escritor que morava em uma tranquila praia, junto de uma colônia de pescadores. Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para se inspirar, e à tarde ficava em casa escrevendo. Certo dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar. Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, jogá-las novamente de volta ao oceano.

Imagem

Por que está fazendo isso?”- perguntou o escritor.

“Você não vê!? –explicou o jovem– A maré está baixa e o sol está brilhando. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia”.

O escritor espantou-se.

“Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai perecer de qualquer forma”.

O jovem pegou mais uma estrela na praia, jogou de volta ao oceano e olhou para o escritor.

Para essa aqui eu fiz a diferença”.

Autor desconhecido

O Senhor não nos chama para salvarmos o mundo todo, mas o mundo ao nosso redor, o mundo que podemos tocar e alcançar.

Uma vida! Apenas uma. Ele não nos pede o mundo.

Que tal salvar UMA vida ainda em 2013?

Lenara (Não Morda a Maçã)

Anúncios

Verdadeiro amor ao próximo

Quero compartilhar com vocês o texto do Filipe Rodrigues, do vlog IDENTIDADE DO CÉU.

Ame o seu próximo como você ama a VOCÊ MESMO! (Lucas 10:27)

Como eu acho lindo esse mandamento de Cristo.

Mas quando olhamos pra esfera da Igreja, de um modo geral, começamos a perceber o quanto é difícil viver esse mandamento, afinal de contas o sinônimo de AMOR é RENUNCIA!

Vamos começar a pensar desde o começo!
Partindo do primeiro ponto, onde entendemos que devemos AMAR os nossos irmãos, aqueles que partilham da mesma Fé que nós, ou seja, aqueles que creem que Jesus veio em carne, morreu e ressuscitou no terceiro dia e que em breve virá nos salvar. Quando olhamos primeiro para esse ponto, já vemos vários desafios sobre AMAR os nossos IRMÃOS!

Tem gente mais complicada no mundo, que nós CRISTÃOS? Achamos que sempre somos os donos da razão, achamos que somos mais ungidos que os outros, e que conhecemos a bíblia mais que todo mundo, achamos que Deus nos ama mais do ama o nosso outro irmão, pensamos que por orar mais e jejuar mais, estamos mais próximos de Deus e por isso Deus fala mais com a gente do que com aquele irmão que não tem praticas espirituais como as nossas. Enfim, acho que já me fiz entendido sobre nossa relação com o mundo ECLESIÁSTICO, digamos assim.

Agora vai apertar um pouco viu?

Já percebeu que nós CRISTÃOS, dizemos o tempo todo “Jesus te ama”, mas na hora do “vamos ver” a gente sai fora da responsabilidade de amar? Agora pensa comigo: Se temos dificuldades de amar nossos irmãos, que partilham da mesma fé que nós, imagina só amar aqueles que AINDA não partilham da mesma fé que nós?

Eu acho o cumulo do absurdo, nós que dizermos conhecer um Deus tão amoroso, dizermos conhecer um Espirito Santo tão cavalheiro, mas esperamos que as pessoas a nossa volta, tenham as primeiras atitudes nobres, ao invés de nós! É estranho isso! Nós é quem devíamos dar o exemplo de humildade e amor… mas esperamos que as pessoas do mundo façam isso primeiro que nós! Como assim, gente? Porque não somos parecidos com Jesus, já que dizemos que o servimos de forma tão fiel? 

Dando uma “encurtada” no texto, quero pegar um ponto polemico, mas, que serve muito bem de exemplo para nós CRISTÃOS, além claro, de ser ATUAL.

Quando Jesus nos desafia a amar o próximo como nós mesmos, eu só consigo interpretar assim: “Cuide e sirva as pessoas, como você gostaria que elas te servissem, se você tivesse os mesmos talentos ou PRINCIPALMENTE, as dificuldades que elas tem.”

Quando olhamos por exemplo, para os homossexuais… Quem de nós estaria livre de ser um homossexual? Qual de nós estaria livre de ser VÍTIMA de uma história difícil e complicada como alguns deles foram vitimas? Qual de nós estamos livres de cometer um pecado, entendendo que o pecado deles, comparando com os nossos pecados, é a mesma coisa diante de Deus? Qual de nós estaríamos LIVRES de uma situação dessas? Ou será que eles foram amaldiçoados e nós abençoados? Acho que não, hein? Porque a própria Bíblia diz: “Aquele que pensa estar de pé, cuide para que não caia!”

Se você estivesse no lugar deles, como gostaria de ser tratado? Com amor ou com Rejeição? 

Tá bom, tá bom! Eu já sei… você ama o PECADOR mas não ama o PECADO! Então, vamos ver se isso é verdade mesmo!

Você já abraçou um homossexual hoje? Sem a intenção de ganhar ele pra Jesus… somente por AMOR, sem nenhum outro tipo de interesse. Você já se sentou pra comer em um restaurante, junto como um homossexual? Algum travesti, frequenta sua casa, como um amigo que precisa de amizades verdadeiras e alguém que o ajude com amor? (Não apenas um gay, mas qualquer tipo de pessoa considerada ”mínima” por seus pecados.) E ai? Será que nós REALMENTE amamos o PECADOR? Acho melhor parar com os exemplos, se não você vai passar vergonha demais.

free-hugs

O grande ponto de tudo o que quero dizer é que o AMOR de Deus, quebra TODO O NOSSO SENSO de JUSTIÇA!
Cara, será que você não entendeu que o Mundo está cansado de uma Igreja que não o Ama? E que tudo o que ele tem feito é só um GRITO DE DOR, aguardando a Manifestação dos Filhos de Deus? (Romanos 8:19-22)

A Bíblia diz que Deus é AMOR, ou seja: Deus = Amor e Amor = Deus. É a MESMA COISA!
E Se o mundo está esperando pelos FILHOS DE DEUS, ele está esperando PELOS FILHOS DO AMOR!

O Egoísmo Arruma desculpas. O Amor encontra caminhos. (Gustavo Paiva)
Precisamos amar as pessoas mesmo que elas não queiram ser amadas por nós, porque se estivéssemos no lugar delas, gostaríamos de ser amados pelas pessoas, mesmo quando NINGUÉM quer nos amar.

Espero que você esteja disposto a ser de fato um FILHO do AMOR por onde você for.

A Linguagem do AMOR é universal e quebra qualquer barreira, sendo essa RELIGIOSA o IDEOLÓGICA. O Amor sempre vai falar mais alto do que nossas diferenças.

Levai as cargas uns dos outros.

ImagemO título desse post me leva a pensar nas formigas… talvez ao pensar nelas venha a sua mente: picadas, coceiras ou doce. Mas algo há algo especial e admirável nelas: Sua força e união.

Vez ou outra me pego admirando a força com que elas carregam coisas tão maiores do que elas. Por vezes, carregam outras formigas (lamentavelmente, mortas) em seus ”ombros” por um caminho longo. E eu fico admirada que quando eu piso sem querer em uma, se juntam várias ao redor… há uma união entre elas.

Sozinhas elas conseguem carregar alguns pesos, mas juntas elas conseguem bem mais. Com certeza, você já viu um monte de formiguinhas juntas carregando uma bolacha ou alguma coisa ”grande” (bem, para elas são).

E esse é o grande Exemplo das Formigas que podemos tirar para a nossa vida cristã. Buscar sempre em Deus, forças, para carregar nossa cruz, mas lembrar também que temos uma família em Cristo que pode nos ajudar a carregá-la, e nós também somos essa família em Cristo para nossos irmãos.

Juntos somos mais fortes! Há uma frase bem conhecida que diz: ”A união faz a força”, e eu nunca olhei para ela e vi tanta verdade como agora. Juntos, como Igreja, podemos vencer as ciladas do inimigo, as intriguinhas ás vezes tão banais entre os nós, irmãos. Juntos podemos evangelizar mais, pregar mais, amar mais, e compartilhar mais, entre nós mesmos, a união de Cristo.

Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. Salmos 133:1

Tem uma canção da Igreja que diz:

Pra que o mundo reconheça
Que Jesus é o Senhor
Para que a Igreja cresça
Proclamando seu amor
Meu irmão, de coração,
Posso ver Jesus em você
E no amor do nosso Pai
Unidos vamos caminhar
E o mundo conhecerá
Que Cristo vive em nós

Nisto conhecerão todos que sois os meus discípulos: se vos amardes uns aos outros. João 13:35.

Como Igreja nosso papel é servir uns aos outros, como Jesus serviu. Levar as cargas uns dos outros, como Jesus levou. Ser unido com nosso irmãos, como Jesus assim foi. E amar ao próximo, como Jesus amou (e ainda ama). Maior do que o exemplo das formigas, é o exemplo de JESUS para NÓS. Olhemos somente para Ele, busquemos todos os dias uma comunhão com ELE e assim, seguiremos os seus passos! Deus nos abençoe, irmãos.

Imagem Débora Amaro.

Falta de amor ou do Espírito?

ImagemOuço muitos alegarem haver falta de amor na Igreja. Imediatamente fui à Bíblia e li o “salmo do amor” – I Coríntios 13 – em busca de uma resposta à pergunta: O que é esse amor que, dizem, falta-nos?

Pela enésima vez li aqueles 13 versículos tão profundos. Com muito cuidado pois, às vezes, corremos o risco de passar por alto conceitos importantíssimos pelo fato de já conhecer bem um texto. Algumas verdades se destacaram de imediato: (1) no verso 2 é dito que, ainda que possuamos qualquer dom espiritual, muito conhecimento científico e uma fé capaz de transportar montanhas, sem amor, de nada valem essas virtudes; (2) no verso 3, Paulo diz que, mesmo que distribuamos todos os nossos bens aos pobres e sejamos martirizados, sem amor, isso tudo de nada aproveita; (3) no final do capítulo, o Apóstolo termina dizendo que o amor é maior que a fé e a esperança.

No entanto, o que realmente me chamou a atenção foram os versos 4 a 7. Há muitas semelhanças entre eles e o fruto do Espírito de Gálatas 5:22. Vejamos:

I Coríntios 13 – O amor : Gálatas 5:22 – O fruto do Espírito é:
é benigno benignidade
não se porta inconvenientemente domínio próprio
não busca os seus próprios interesses bondade
não se irrita longanimidade / mansidão
regozija-se na verdade fidelidade
tudo suporta, tudo crê, tudo sofre, tudo espera paz / domínio próprio

Tamanha coincidência não pode ser mera semelhança. O próprio amor é a virtude que encabeça a lista de Gálatas 5:22. E se o amor é um dos “gomos” do fruto do Espírito Santo, mesmo que nos esforcemos, jamais poderemos fabricá-lo. Não existem estratégias ou métodos que nos façam sentir amor pelos irmãos.

O amor provém do Espírito de Deus. Sem comunhão com Deus, portanto, não pode haver amor. O correto não seria dizer: “A Igreja precisa de mais amor.” Isso, na verdade, é óbvio. Nossa maior necessidade, no entanto, é da presença do Espírito Santo em nossa vida. De nada adianta uma adoração “animada” por palavras de ordem, ou barulho; assim como de nada adianta uma simpatia forçada de uns pelos outros, ao convite de “vamos apertar a mão de quem está ao nosso lado”. A alegria do louvor e a simpatia entre os irmãos só existirão na medida em que cada um buscar o Espírito de Deus. Muitos abandonam a Igreja alegando falta de amor por parte dos irmãos. Outros dizem que a Igreja é muito “parada”, “desanimada”, “morna”. Não se daria o caso de haver falta do fruto do Espírito em suas vidas?

Se amamos a Jesus e estamos convictos da verdade, nada, nem a alegada falta de amor, pode nos afastar de Sua Igreja (afinal, se assim o fizermos, para onde iremos?).

Esse texto é de Michelson Borges.

Jesus e a Igreja: Amor.

Imagem Amor. Como achar palavras que tenham tamanha capacidade para definir esse sentimento? 

Tudo começou no amor. Se Deus não nos amasse desde o inicio de tudo, não haveria inicio de tudo. 

Foi pelo amor de Deus por nós que recebemos a Sua graça, o perdão dos pecados, a aceitação e salvação. Por amor, Deus deu seu único filho para que todo aquele que tivesse fé nEle não perecesse, mas tivesse a vida eterna. É por amor a nós que Deus nos convida para passarmos a eternidade com Ele. E é por amor á Ele que entregamos nossa vida a morte todos os dias. Por amor á Ele que nos entregamos de corpo e alma a sua obra.  

Nós O amamos a ele porque ele nos amou primeiro. 1 João 4:19

Deus nos amou, nós O amamos, e recebemos o mandamento de amar ao próximo, e ao seguir Jesus verdadeiramente passamos a ser Igreja, e devemos amar os outros como a nós mesmos, e se somos Igreja, devemos amar a Igreja, e a Igreja deve amar a Deus e amar ao próximo, e o próximo deve se amar e amar ao próximo, e assim sucessivamente…

O amor une todas as coisas. Não como pregar sem amar, e nem como falar de Jesus sem falar do seu amor pela humanidade. Não há como seguir o exemplo de Jesus sem amar, pois Jesus nos deu a maior prova de amor que já se existiu.

Ao longo dessa séria vamos falar sobre o amor por Jesus, ao próximo, pela Igreja, e as consequências dessa falta. Quero desafiar você, e a mim mesma também, a conhecer mais e viver mais desse Amor que nos salvou! Que Deus nos abençoe, e principalmente: Nos ensine a amar como Ele ama!

Imagem Débora Amaro.