”Por que, meu Deus, por que?”

ImagemHoje senti a dor inexplicável que é perder um amigo, e a minha primeira reação foi cair de joelhos, e em meios aos soluços perguntar ”Por que, meu Deus? Por que?” A Palavra do Senhor diz “Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa.” Tiago 4:14. Deus tem seus mistérios. Quem um dia entenderá os planos do Senhor? Quem conhecerá a Sua mente? E ainda: quem questionará a Sua vontade? Somos falhos, pequenos, pecadores. Somos como neblina, que aparece e logo se dissipa. Somos meros mortais. Não somos nada, mas sentimos tudo. Está doendo, doendo muito, mas me conforta saber que Deus está no controle de tudo. O ano mal começou, mas tantas almas já deram adeus para a vida… E eu me pergunto: será que elas viveram o suficiente? E os seus sonhos? seus planos? A faculdade?… e a família? Como fica? se somos todos um corpo? Deficientes, pois um membro dele já não existe mais. Virou cinzas… Oh, como a vida é insperada! Hoje milhares nascem, mães seguram seus filhos nos braços, e choram, mas choram felizes. E também outros milhares morrem, e as mães choram, mas dessa vez não é de felicidade. Seja na saúde, na doença, na alegria ou na tristeza, o choro sempre está presente. É difícil de acreditar, mais ainda: É difícil de aceitar. Mas adeus sempre farão parte das nossas vidas. A dor fica, a saudade também, mas sempre um existe um fim, por o que começa também termina. Resta-nos guardar o que foi bom, guardar os risos, os abraços, guardar na lembrança os momentos lado a lado. E lembremo-nos: É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, por que talvez não há. Eu não consigo achar a resposta de por que existe um fim, bom… talvez ninguém saiba responder.