O terceiro excluído: A escolha é inevitável

Bom pessoal, meu nome é Danilo Pinheiro, sou da Igreja de Cristo Central de Fortaleza (a mesma de todos os outros colunistas), e vou estar com vocês ás segundas e sextas compartilhando reflexões sobre as verdades do nosso Senhor Jesus. A paz seja com todos vocês! Vamos lá… =]

Existe um principio lógico chamado de “terceiro excluído” e esse determina que um argumento ou é verdadeira ou é falsa, não havendo terceira possibilidade ou meio termo: (se X é verdadeiro, não pode ser simultaneamente falso) e vice-versa.
“Entre um ser que é uma girafa e um ser que não é uma girafa, não existe terceira possibilidade ou meio termo: não existem “camelogirafas” ou “ patogirafas”. A esta terceira hipótese não existe, está excluída.

Na vida espiritual este princípio também se aplica, pois só existe dois caminhos “verdade” ou “mentira”, dois senhores “Cristo” ou “Satanás”, dois objetivos “Céu” ou “Inferno”.

Sugestão de imagem

Algumas pessoas pensam que podem simplesmente ficar em cima do muro, sem servir a ninguém, mas isso não é possível, pois só existem dois senhores: Satanás e Cristo. E como ninguém pode servir a dois senhores…

“Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e às riquezas.” Mateus 6.24 

esta escolha é inevitável.

O Senhor não exige trabalho forçado, nem devoção contra a vontade, mas uma coisa Ele não abre mão: Ter você por inteiro. Se você decide ser servo do Deus Altíssimo e verdadeiro, deve fazê-lo por completo.

Deus exige uma postura, uma decisão, ou somos Dele e nos santificamos, ou somos do diabo e nos sujamos mais e mais, não existe uma terceira alternativa.

Deus nos deu livre arbítrio, ou seja, a liberdade de escolha. Liberdade para escolher até mesmo quem vai conduzir as nossas vidas, Deus nos deu esta condição.

Podemos entregá-la nas mãos do próprio Deus, mas também podemos entregá-la nas mãos de satanás ou do próprio “EU”, o que dá no mesmo.

O maior truque de satanás foi convencer o mundo de que ele não existe.

Essa ideia de liberdade absoluta que o mundo apresenta é uma ilusão, é uma armadilha de satanás, ele deixa que pensemos que somos absolutamente livres, mas na verdade somos escravos de nós mesmos, do nosso ego, das nossas vontades, das nossas paixões.

Quando somos escravos de nós mesmos colocamos o nosso ego, a nossa vontade, a nossa preferência como senhores e desta forma tiramos Deus do trono da nossa vida, assim praticamos a idolatria, servindo ao ego e não a Deus.

Ao dedicarmos ao Senhor toda nossa vida, todos os “cômodos” do nosso coração, certamente não haverá “cantinhos” escuros onde o inimigo das nossas almas possa se alojar. Todo nosso ser terá o brilho da glória de Deus, seremos felizes e prósperos em Sua boa, perfeita e agradável vontade.

Que o Senhor os abençoe!

Escolha a quem desagradar

A vida cristã, na sua essência, consiste basicamente em uma escolha diária que define quem será o nosso senhor ou, em outras palavras, consiste em escolher a quem vamos agradar com o nosso viver, a nós ou ao Senhor. Isso significa que, como ordenou Josué no texto acima, existe um momento para se fazer essa escolha, e esse momento é hoje. Não existe um dia sequer, nenhum momento na nossa vida em que não precisamos escolher, e viver escolhendo a quem vamos agradar. Ao abrirmos os nossos olhos a cada manhã, essa é a primeira decisão a se tomar: Eu escolho agradar ao meu Senhor e não a mim mesmo, e preciso fazer essa escolha constantemente, a cada minuto de minha vida.

Imagem

Quando realmente fazemos essa escolha, devemos nos preparar para as provas do dia a dia, pois são nas pequenas coisas, que aparentemente não tem muita relevância, que somos provados. Porém, junto com as provas, virá a paz de estarmos carregando um fardo que não é pesado, mas sim leve: o fardo de Cristo. Todo aquele que escolhe viver para agradar a si mesmo, não vive em paz e sim escolhe carregar o duro fardo de estar fora dos propósitos de Deus para si, o que lhe tira a paz o e faz viver vazio. Então, o que precisa estar vivo nos nossos corações, é que eu não posso me agradar, vivendo uma vida baseada no que é melhor para mim, no que eu gosto de fazer, no que eu penso ser a melhor escolha. Para agradar a Deus, eu preciso ser desagradado, preciso perder, preciso renunciar a minha vida. Assim vamos aprendendo com Jesus, que é manso e humilde de coração.

O tempo é este. O dia é hoje. Quem será que você vai desagradar? A você ou a Jesus? Faça a escolha certa.

(Texto de Cristiano Brum)